Page 9 of 13 FirstFirst ... 5678910111213 LastLast
Results 41 to 45 of 63

Thread: Porto Alegre (RS) | Linha 2 do Metro

  1. #41
    paolapoa's Avatar
    Golden Member

    Status
    Offline
    Join Date
    Mar 2008
    Location
    Porto Alegre, Brasil
    Posts
    11,606
    Liked
    27 times
    Rep Power
    18

    Default

    Blog Porto Imagem
    08/07/2009

    Trensurb apresenta projeto da linha 2 aos deputados estaduais


    O projeto do Metrô de Porto Alegre – Linha da Copa foi apresentado nesta quarta-feira, em café da manhã no Hotel Master Express Grande Hotel, para os deputados estaduais e para o deputado e secretário de Estado Extraordinário para a Copa do Mundo de 2014 (Secopa-RS), Paulo Odone. O diretor-presidente da Trensurb, Marco Arildo Cunha, disse que o Metrô de Porto Alegre “é uma obra que vai modernizar a cidade e capacitá-la para a Copa do Mundo”. Além disso, afirmou que a obra é totalmente viável para 2014, e citou como exemplo uma linha de 40 quilômetros de metrô que está sendo concluída na Espanha num prazo de dois anos e meio. Destacou que “40% das pessoas que saem de manhã para o trabalho estão andando a pé”, e que dos outros 60% restantes, “53% utilizam o seu automóvel e 47% o transporte coletivo”. Destacou que só três cidades brasileiras têm predominância do transporte coletivo sobre o individual, que são São Paulo, Campinas e Curitiba. “Em todas as demais cidades grandes, predomina o transporte individual, e em média as pessoas andam quatro horas por dia de ônibus para ir e voltar do trabalho. Aqui em Porto Alegre já estamos com um veículo para cada duas pessoas”, salientou. Sobre o financiamento para a construção da Linha da Copa, Arildo disse que “há interesse de empreiteiras brasileiras, mas também do Japão, Espanha, China e Coréia do Sul, que, diante da crise econômica, estão procurando fazer investimentos fora dos seus países. Para termos o metrô pronto para a Copa, temos que começar o buraco, mais tardar, em janeiro de 2011″, arrematou Arildo. A exposição do projeto da primeira etapa do Metrô de Porto Alegre – Linha da Copa, de 15,3 quilômetros, foi feita pelo superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, engenheiro Humberto Kasper, que abriu mostrando que “se trata de um processo histórico, que começamos a debater em 2002 na Câmara Municipal e na Assembléia Legislativa e os primeiros protocolos com a Prefeitura e o Governo do Estado foram assinados em 2003. A construção do Metrô de Porto Alegre não é um processo isolado. Faz parte de um Sistema Integrado de Transporte que vai mudar a vida das pessoas e valorizar Porto Alegre. É um projeto para os próximos 50 anos e que terá os Portais da Cidade como alimentadores do Metrô”. Kasper mostrou que o traçado “vai ligar os dois principais estádios de futebol, de Inter e Grêmio, dois campus universitários (PUCRS e UFRGS), transportando, nesta primeira etapa, a Linha da Copa, 290 mil usuários/dia e garantindo um faturamento de R$ 132 milhões por ano. Como os custos operacionais iniciais ficarão em torno de 85 milhões/ano, trata-se de um projeto superavitário, com as tarifas que cobramos hoje. Para a implantação da Linha da Copa serão necessários 25 trens de quatro carros cada um (total de cem carros), sendo 23 para estarem na linha e dois reservas, com capacidade para 760 passageiros”. Kasper apresentou também os modelos de financiamento prováveis para a execução da obra e explicou os mecanismos de licitação que devem ocorrer até o início da construção, que tem uma previsão para começar entre novembro de 2010 e janeiro de 2011. Kasper destacou que “o Metrô de Porto Alegre – Linha da Copa será totalmente integrado com os sistemas de linhas de ônibus já existentes, atendendo 15 bairros, além de uma demanda muito grande de estudantes universitários”. Salientou que para viabilizar a obra até 2013 será “necessária uma Parceria Público Privada, além de agilidade do poder público, soluções tecnológicas também ágeis e menos onerosas, e estratégias previamente definidas”. A PPP-2, previsto na Lei 8.666, é o modelo que vem sendo defendido pela Trensurb para realização da obra. “Este modelo prevê o ressarcimento dos investimentos privados em 30 anos, após a conclusão total da obra, e com ele, poderemos fazer toda a preparação, até a contratação do projeto, este ano e em 2010, para realizar a construção de 2011 a 2013″, diz Kasper. O Presidente da Assembléia Legislativa, Ivar Pavan (PT), elogiou o projeto, que está “bem executado e com cronograma de implantação, inclusive na sua parte burocrática, que é a mais difícil”, e disse que “a obra precisa estar pronta até a Copa pela importância social e econômica que ela tem. Quem anda pelas ruas de Porto Alegre já sente a necessidade da construção do Metrô”. Paulo Odone disse que “a Copa do Mundo vai nos proporcionar a aceleração de diversas obras, e é nosso dever investir em projetos como o do Metrô de Porto Alegre, com ou sem a Copa”. Disse também que outra obra urgente é a Rodovia do Parque, pois “em mais um ano a BR-116 deverá estar aplicando o sistema de alternância de placas par e ímpar, por dia, para o tráfego, e vai parar, não terá mais condições”.

    INÍCIO DO ANEL METROVIÁRIO DE PORTO ALEGRE

    Os 15,3 quilômetros da Linha da Copa são uma adequação ao traçado da primeira fase de um projeto de 34,4 quilômetros que vai formar o anel metroviário da capital gaúcha, definido no Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMurb) para a Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA). A Linha da Copa irá transportar, em média, 290.000 usuários/dia útil, com uma frota de 25 composições de 4 carros com capacidade de 760 passageiros cada. Quando estiver completo, o Metrô de Porto Alegre deverá transportar cerca de 670 mil usuários/dia. O Plano Integrado de Transporte e Mobilidade Urbana (PITMurb), desenvolvido sob a coordenação do Grupo Executivo de Integração (GEI), constituído por técnicos das três esferas de Governo (Trensurb, Metroplan e EPTC), apresenta-se como uma oportunidade para redefinir a estratégia de desenvolvimento do transporte público coletivo no âmbito da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), num contexto oportuno para possibilitar o fomento de outros projetos urbanos (empreendimentos imobiliários, comerciais e urbanísticos). O Plano foi desenvolvido de forma compartilhada, participativa e transparente, com visão estratégica da cidade do futuro, considerando as recomendações emanadas de relatórios da Câmara de Vereadores da Capital, da Assembléia Legislativa, do Ministério das Cidades e de entidades de financiamento externo (BIRD, BID, JBIG) e interno (BNDES) e apresenta soluções funcionais e institucionais harmonizadas e articuladas no curto, médio e longos prazos. O Sistema Integrado de Transporte (SIT), proposto no PITMUrb, coloca o transporte público coletivo numa posição de prioridade e qualidade, capaz de competir com o automóvel e estimular a redução do seu uso para deslocamentos rotineiros (casa-trabalho-escola), contribuindo para a diminuição de congestionamentos e melhoria das condições ambientais. O SIT conta com soluções institucional, operacional e de financiamento que visam racionalizar,modernizar e promover a integração gerencial, físico-espacial, operacional e tarifária dos sistemas de ônibus urbanos e metropolitanos e do sistema metro ferroviário, com a possibilidade de eliminação de terminais de ônibus na área central de Porto Alegre.

    LINHA DA COPA

    É neste contexto e perspectiva que se desenvolve o programa de expansão do sistema de transporte sobre trilhos inserido no PITMurb e a construção do Metrô de Porto Alegre. A Linha da Copa é a primeira etapa da implantação de um anel metroviário com 34,4 quilômetros de extensão, e ligação com a Linha 1 (Trem Metropolitano), através da extensão de três quilômetros, fazendo a conexão das duas linhas na Estação Cairu, no ano horizonte de 2023. O anel completo prevê a implantação de 24 estações convencionais e sete estações de integração multimodal. A Linha da Copa, com previsão de conclusão em 2013, para a Copa do Mundo de 2014, tem um traçado proposto de 15,3 quilômetros (Avenida Borges de Medeiros/Mercado Público, Avenida José de Alencar, Avenida Azenha, Avenida Bento Gonçalves até a Avenida João de Oliveira Remião), com uma previsão de investimento em torno de R$ 2,5 bilhões. O projeto prevê 12 estações de metrô (Rua da Praia-Mercado, Capitólio, Daer, Praça Itália, Getúlio Vargas, Botafogo, Santo Antonio, Barão do Amazonas, Campus da PUC, Carrefour, Antonio de Carvalho e Campus Agronomia) e cinco estações de integração multimodal (Beira-Rio, Rótula do Papa, Azenha, Aparício Borges e João de Oliveira Remião). Por seu traçado, a Linha da Copa atenderá 15 bairros (Centro, Cidade Baixa, Praia de Belas, Menino Deus, Santa Teresa, Medianeira, Azenha, Santana, Santo Antonio, Partenon, Aparício Borges, João Pessoa, São José, Jardim Carvalho e Agronomia). Ao longo do entorno, numa faixa de 400 metros para cada lado, reside uma população estimada em 105 mil habitantes, que têm 26.906 automóveis (3,92 habitantes por veículo), no horizonte de 2013. Nesta área estão concentrados 184 mil postos de trabalho, sendo 80 mil deles na área central da cidade.

    IMPACTOS ECONÔMICOS

    O Metrô de Porto Alegre foi concebido no contexto do SIT e da Rede Estrutural Multimodal Integrada como elemento reestruturador do transporte público a serviço de um plano integrado da mobilidade urbana, constituindo o eixo de orientação e sustentabilidade de uma estratégia global, podendo funcionar como uma ferramenta de planejamento urbano indutora do desenvolvimento, regeneração e revitalização de áreas degradadas. Contribuirá substancialmente para o atendimento da acessibilidade e mobilidade da sociedade do presente e do futuro, para o reequilíbrio da matriz modal de transporte e para a requalificação urbano-ambiental. Seu traçado representa a melhor aderência natural às linhas de desejos de deslocamentos atuais e futuros da população, possibilitando interligação direta entre 32 bairros e mais de 60 polos de comércio, serviço, educação e saúde, bem como conexão entre todos os corredores estruturais de transporte público e privado. A implantação do Metrô de Porto Alegre, constituindo parte da Rede Estrutural Multimodal Integrada, tem como principal objetivo o estabelecimento de políticas que dinamizem a economia da cidade, dentro de uma perspectiva de revalorização do papel de Porto Alegre como polo metropolitano, com estímulo ao crescimento e a promoção de condições favoráveis ao desenvolvimento de atividades econômicas diversificadas, além do incentivo à produção e socialização do conhecimento tecnológico. Como Benefícios Econômicos ou Sociais da implantação do Metrô de Porto Alegre podemos citar: Redução do custo operacional e de gestão do Sub-Sistema Ônibus; Variação do custo operacional do Transporte Individual; Economia do tempo; Diminuição de acidentes; Redução da poluição; Variação de custo de manutenção de vias.

    REGIÃO METROPOLITANA

    A Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) reúne 31 municípios em intenso processo de conurbação – o termo refere-se à extensão da capital Porto Alegre, formando com seus municípios lindeiros uma mancha urbana contínua. Atualmente compreende 9.825,61 Km², que corresponde a 3,5% da área total do Estado do Rio Grande do Sul e, segundo estimativas do IBGE para 2008, possui 4.035.194 habitantes e ostenta uma taxa de urbanização de 83%. É a quarta região mais populosa do Brasil, superada pelas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas. As alternativas de soluções buscam unificar o planejamento e a gestão dos sistemas numa entidade multifederativa, tipo um consórcio metropolitano de transporte e harmonizar os modelos físicooperacional, tecnológico e tarifário. A Rede Estrutural Multimodal Integrada possibilitará a racionalização e modernização do sistema de transporte público coletivo, com bilhete eletrônico e tarifa integrada, evitando superposição de linhas e redução significativa do número de ônibus em circulação no Centro de Porto Alegre e nos Corredores, o que acarretará um menor custo do transporte, menos poluição do ar e diminuição de acidentes de trânsito e de congestionamento. Para a definição da melhor alternativa de rede estrutural foram considerados a infraestrutura de transporte existente e todos os estudos e projetos desenvolvidos nos últimos dez anos pelas três esferas de governo.

    OS TRENS

    A escolha do material rodante é fundamental num sistema de metrô. Normalmente é feita concomitantemente com a escolha do traçado e depende basicamente da oferta que se deve ter no transporte, em função da demanda a médio e longo prazos. O material rodante será com tecnologia de roda de ferro, adotada pela maioria dos metrôs do mundo. Os trens podem ser de alumínio, de aço carbono ou de aço inoxidável, mas será dada preferência a este último. As composições serão de quatro carros, com capacidade para 760 passageiros. Dependendo dos estudos do Projeto Básico, poderão ser ou todos carros motores ou dois motores e dois reboques. Os carros serão modulares, formando um salão contínuo, totalmente monitorado e permitindo comunicação entre o usuário e o Centro de Controle. O projeto é hoje concebido como um todo, com a fabricação estruturada por módulos, para adaptar-se às condições específicas de cada projeto, utilizando um material muito leve e resistente, permitindo aumentar a capacidade de transporte, reduzindo o peso e consequentemente o consumo de energia. O design é mais estético e utilizam-se materiais não inflamáveis e não tóxicos, portas com acionamento elétrico e com uma preocupação primordial com o usuário, determinando o conforto ambiental, o baixíssimo nível de ruído e uma comunicação visual e sonora moderna. A utilização do motor linear permite a redução do diâmetro das rodas e consequentemente o rebaixamento do piso do trem, resultando na redução do gabarito do trem e da seção dos túneis. Como a transferência das forças de tração não se dá através das rodas, essa tecnologia permite vencer gradientes maiores do que nos casos em que se utiliza a tração nas rodas.

  2.   
     
  3. #42
    paolapoa's Avatar
    Golden Member

    Status
    Offline
    Join Date
    Mar 2008
    Location
    Porto Alegre, Brasil
    Posts
    11,606
    Liked
    27 times
    Rep Power
    18

    Default

    Zero Hora
    26 de julho de 2009 | N° 16043

    Cinco razões para dizer SIM ao metrô da Capital

    Porto Alegre poderá saborear no mês que vem a sensação de realizar um desejo acalentado durante anos. Deve ocorrer em agosto a definição, pelo governo federal, das obras de preparação para a Copa de 2014. O metrô da Capital figura entre os candidatos fortes a aparecer na lista.

    Se isso acontecer, duas licitações serão abertas pela Trensurb, empresa responsável pelo projeto, no ano que vem. A primeira será para a encomenda dos 25 trens do sistema. A outra consistiria na licitação da Parceria Público-privada que escolherá a empresa responsável por investir R$ 2 bilhões na construção dos 15,3 quilômetros da linha. A obra seria iniciada em 2011 e concluída em três anos.

    – Havendo dinheiro, podemos operar o metrô já na Copa das Confederações, em 2013 – garante Marco Arildo Cunha, diretor-presidente da Trensurb.

    A operação começaria com cinco estações. As outras 12 seriam entregues ao longo de um ano .


    Last edited by paolapoa; 26th July 2009 at 00:49.

  4. #43
    paolapoa's Avatar
    Golden Member

    Status
    Offline
    Join Date
    Mar 2008
    Location
    Porto Alegre, Brasil
    Posts
    11,606
    Liked
    27 times
    Rep Power
    18

    Default

    Copa 2014.org
    31/08/09

    Porto Alegre confirma metrô para Copa

    Linha ligará os estádios Beira-Rio e Olímpico ao centro da cidade


    A cidade de Porto Alegre retoma os projetos de expansão do metrô. A linha 2 deve melhorar a mobilidade urbana para 2014. O projeto visa aumentar 15,3 km da linha atual, que já possui uma extensão de 33,8 km. A nova linha foi apelidada de “Linha da Copa”.

    “A linha da Copa ligará os estádios Beira-Rio e Olímpico ao centro da capital. Partindo da estação Mercado (estação central), passará pela av. Borges de Medeiros, contornando a av. José de Alencar, chegando à estrada João de Oliveira Remião, nas proximidades do campus da UFRGS, que seria o ponto final do traçado”, afirmou o superintendente da Trensurb, Humberto Kasper, presente à 15a Semana de Tecnologia Ferroviária, em São Paulo. Kasper disse que até o final de 2010 as diretrizes do projeto estarão finalizadas para, então, montar o edital de licitação da obra. “A hipótese é licitar a obra com base na lei federal da PPP (Parceria Público-Privada). A construção da nova linha seria realizada por uma empresa de iniciativa privada”, explica.

    O consórcio de empresas que obter a concessão da obra deve preparar os projetos de engenharia até o final de 2010. “Será preciso detalhar o EIA-Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental) para conseguir a licença ambiental. Depois disso, pretendemos iniciar as obras no começo de 2011. A entrega da linha da Copa está prevista para o final de 2013”, afirma.

    Ainda antes da escolha de Porto Alegre com cidade-sede de 2014, o Internacional já havia manifestado apoio à construção da nova linha, que já estava nos planos do governo gaúcho.

    Quinze bairros

    Kasper salientou que a nova linha “atenderá uma demanda de 290 mil passageiros/dia, além de gerar empregos diretos e indiretos para 184 mil pessoas”. A nova linha passará por 15 bairros, atingindo diretamente 105 mil habitantes que moram nos 400 metros do entorno das estações. A proposta prevê a compra de 44 trens com capacidade para 1.080 passageiros (40 para entrar na linha e quatro reservas) para a primeira fase e um cronograma anual de investimentos para implantação.

  5. #44
    paolapoa's Avatar
    Golden Member

    Status
    Offline
    Join Date
    Mar 2008
    Location
    Porto Alegre, Brasil
    Posts
    11,606
    Liked
    27 times
    Rep Power
    18

    Default

    Zero Hora
    11 de setembro de 2009 | N° 16091

    Metrô da Copa depende de parcerias privadas

    PPPs darão mais agilidade para que as obras sejam concluídas antes do Mundial de 2014

    Para que as obras do metrô de Porto Alegre fiquem prontas antes da Copa do Mundo de 2014, é preciso que se iniciem em 2011 sob a legislação das Parcerias Público-Privadas (PPPs), que dá mais agilidade ao processo, em comparação com as licitações públicas.

    A informação foi divulgada ontem pelo superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Humberto Kasper.

    – A Lei das PPPs executa a obra a tempo da Copa. De outra forma, não. Tem de começar em 2011 – disse o superintendente.

    Atualmente, estão concluídos os estudos do traçado da linha do metrô e financeiro. Seguem em elaboração as diretrizes ambientais (previsão para conclusão em outubro), o modelo jurídico-institucional (dezembro), o modelo do edital de contratação (dezembro) e o projeto funcional de engenharia (janeiro de 2010). A execução da obra tomará os três anos anteriores ao campeonato de futebol, do qual a Capital é uma das sedes.

    O projeto prevê a conclusão da primeira fase da linha do metrô em 2013, ligando o centro da cidade (Estação Mercado) à Zona Leste (Estação João de Oliveira Remião), perfazendo 15,3 quilômetros. A segunda parte é prevista para estar pronta em 2023, e atravessará a Zona Norte, passando por avenidas como Sertório, Assis Brasil e Farrapos, completando 34,4 quilômetros de percurso. O custo total é de US$ 2,5 bilhões.

    Antes de as primeiras fundações do metrô de Porto Alegre começarem a ser instaladas, o aeromóvel que ligará o Salgado Filho à Estação Aeroporto da Trensurb estará operando, conforme Kasper. Ao custo de R$ 30 milhões, o veículo estará pronto em outubro de 2010 para cruzar o trajeto de 854 metros em um minuto e 10 segundos.

    O modelo do aeromóvel ainda está sendo escolhido entre três opções, mas o certo é que será movido por dois motores de Honda Civic. A tecnologia é desenvolvida por UFRGS e PUCRS. Todas as licenças estão concedidas, de acordo com Kasper.

    Saiba mais

    AEROMÓVEL

    - Previsão de início: outubro de 2009
    - Previsão de término: outubro de 2010
    - Custo total: R$ 30 milhões
    - Extensão: 854 metros
    - Trens: dois
    - Capacidade: um para 150 e outro para 300 pessoas

    METRÔ DA COPA

    - Previsão de início: 2011
    - Previsão de término: 2013 (primeira fase) e 2023 (segunda fase)
    - Custo total: US$ 2,5 bilhões
    - Extensão: 34,4 quilômetros
    - Trens: 23 (mais dois reservas), somando cem carros
    - Arrecadação: R$ 132 milhões por ano

    LINHA ATÉ NOVO HAMBURGO

    - Início: fevereiro de 2009
    - Previsão de término: final de 2011
    - Extensão: 9,3 quilômetros

  6. #45
    paolapoa's Avatar
    Golden Member

    Status
    Offline
    Join Date
    Mar 2008
    Location
    Porto Alegre, Brasil
    Posts
    11,606
    Liked
    27 times
    Rep Power
    18

    Default

    Zero Hora
    17 de setembro de 2009 | N° 16097

    Como o metrô cortaria o bairro Menino Deus

    A Copa do Mundo do Brasil está marcada para o distante 2014 e o metrô que pode rasgar a Rua José de Alencar ainda está no papel, mas dois efeitos podem ser antecipadamente conhecidos. Primeiro, será uma obra que causará transtornos imensos enquanto estiver ativa. Segundo, quando pronta, significará um enorme avanço para a cidade.

    – O cotidiano vai ser afetado severamente por essas obras. O Conselho (Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio Grande do Sul) tem a função de fiscalizar e terá de se dobrar para reduzir os riscos de um caos, mas vai ser um crescimento de 30 anos em três anos – analisa um dos diretores do Crea-RS, engenheiro civil Ricardo Scavuzzo Machado.

    O projeto está com a Trensurb, que já definiu a passagem do metrô pela José de Alencar, entre a Pe. Cacique e a Rótula do Papa. O superintendente de Desenvolvimento e Expansão da empresa, Humberto Kasper, relatou em audiência na Assembleia, na semana passada, que a construção da linha do metrô da Copa deve começar impreterivelmente em 2011, sob pena de não haver tempo hábil para entregá-lo antes do evento. Quanto às alterações no bairro em função das obras, Kasper adianta que serão desenvolvidos estudos, mas garantiu que haverá planos de desvios para o trânsito, com criação de rotas alternativas para liberar trechos.

Page 9 of 13 FirstFirst ... 5678910111213 LastLast

Bookmarks

Posting Permissions

  • You may not post new threads
  • You may not post replies
  • You may not post attachments
  • You may not edit your posts
  •  
SkyScraperLife.Com © 2006-2013

World Building Database

Download: Fast, Fun, Awesome - Web Stats